Psiquê no Divã

sábado, 7 de junho de 2008

Vamos falar de Humanidade

Olá, amigos!
Primeiramente, peço desculpas pela ausência. Tive alguns transtornos com este veículo chamado internet e também atarefadas com coisas relacionada ao cotidiano, ou seja, faculdade. Porém, graças à isso, eventos acontecidos na mesma me ajudaram a criar este texto que pode ser tido como crítica ou algo reflexivo, tanto faz!
Minha única missão é fazer com que vocês analisem se estão fazendo juz à sua existência e ao sentido da expressão "ser humano".

Boa leitura e obrigada pela compreensão!




Vamos falar de humanidade...

Qual o sentido da palavra ser humano? Raciocinar? Ter condições privilegiadas que outros animais não possuem? Falar entre outras coisas? Bem, uma amiga minha já citou em seu próprio blog (http://alemmdaqui.blogspot.com) a importância dos animais e q eles nos ensinam coisas que acabam muitas das vezes passando despercebidas. Mas enfim, não estou aqui para fazer referência aos animais de fato, mas ao bicho-homem, dotado de livres poderes de ser, agir e pensar, cujo é o único animal que mata e maltrata seu próprio semelhante por questões de puro egoísmo e soberba.

Muitas pessoas se esquecem que as fatalidades existem para qualquer um, seja rico, pobre, branco, negro, alto, baixo, bonito ou feio. Contudo, quanto mais o tempo passa, percebemos que o ser humano, sob alguns aspectos, gosta de ser considerado o melhor de sua cadeia. Se esquece que quando morrer, ele será comida da mesma forma que seu semelhante... que ele também pode ser acometido por doenças e catástrofes que acontecem com qualquer outro.

Não devemos ter a prepotência de julgar a dor ou as atitudes de alguém ou achar que este alguém deve se sacrificar para cumprir com questões que consideramos importantes, sendo que existem outros fatores que são colocados à frente de uma questão profissional, por exemplo, como saúde ou família (ou ambos ao mesmo tempo).

Antes de se apontar para alguém, lembre-se que três dedos estão voltados para si. Não se considere o ápice. Nem tão sábio, nem tão esperto, nem tão inteligente, nem tão rico:

O dinheiro é findável, enquanto se tem saiba como investi-lo, principalmente para ajudar seus filhos a crescerem na vida e a acudir seus entes queridos, caso seja preciso;

A sabedoria é adquirida com a vivência, com o modo pelo qual você aprende especialmente com seus erros. Mas ninguém é tão sábio que ainda não possa aprender uma bela lição, mesmo se este já estiver com seus 60 anos, como por exemplo, aprender a pedir perdão ou reconhecer que cometeu uma falha, que foi orgulhoso, que outra pessoa tem razão;

A esperteza exacerbada pode se tornar sua maior inimiga, ou nunca ouviram que “o mal do esperto é pensar que todos são bobos”? (acho que esse item já é auto-explicativo);

A inteligência é algo muito relativo. Pessoas cultas existem, porém nem mesmo os gênios sabem tudo, tem o conhecimento do universo (aliás, acho que ninguém possui). O que existe são as aptidões. Enquanto um é bom na escrita, outro pode ser em falar em público e assim por diante. Não seja arrogante. Você precisa estar aberto à todas as informações e tipos de conhecimento. Nós somos eternos alunos diante da vida.

Outra lição: Quando alguém precisar de você, quando esta estiver passando por dificuldades, não se sinta em posição privilegiada que a mesma, porque está tendo uma ótima fase, porque você tem condições de vida mais dignas, porque todos à sua volta gozam de boa saúde. Dê graças à Deus e seja solidário. Seja humilde, seja especialmente HUMANO!


Até a próxima! Beijos...
posted by Luciana Santos at 15:56

7 Comments:

O.o !! ( para bom entendedor.....)




não vou botat acento em nada!!!

Pequena nota :

O bem e mal são relativos, eles dependem de cultura , religião, e etc e tal...( como os tabus islâmicos q para nos brasileiros são absurdos).
Mas existem fatos q apelam a razão q são universalmente vistos como inaceitaveis ( como matar, estupro,pedofilia ,incesto ...). esses são atos mais desumanos q algm pode cometer, são os que vão contra a natureza que temos.
A "falta de humanidade" qndo cometida perante nossos olhos, nos revolta a escalas inarraveis, afinal, qm nunca sentiu isso ao assistir o jornal?
É claro q a falta de humanidade não aparece apenas em atos tão extremos qnto os citados, no dia-a-dia nos deparamos com pessoas q com algumas atidudes parecem ter saido do outro mundo onde não exise sociedade, e é justamente esse o problema, a dificuldade de socialização, a cegueira ao tentar enxergar o outro como um semelhante e que da abertura para tais atitudes.


ps: Otimo tema, otimo texto!!

7 de junho de 2008 16:53  

Creio que a falta de humanidade começa com pequenos detalhes, pequenos atos, hoje em dia esta cada vez mais difícil encontrarmos com pessoas que usam os termos “obrigado”, “por favor”,etc...
É um pensamento radical, pode ser, mas imagino que a tendência é piorar, o ser humano esta cada dia mais frio, mais independente, cada vez mais desprovido de bons modos, pode se dizer assim, estão aprendendo a serem auto-suficientes “não preciso de você e cada um com seus problemas”.
Então uma coisa leva a outra, este tema é muito interessante, pois abre um leque de informações que podem ser exploradas e discutidas de diferentes ângulos.
Não vou me prolongar neste comentário, mas fica aqui os meus parabéns por esse tema.


Beijos Lu, e continue nos presenteando com seus textos.

7 de junho de 2008 19:42  

Sem comentarios sobre atos desumanos e crueldade contra qualquer um dos seres vivos do nosso planeta...

beijos Luuu!!!

Te cuida!

8 de junho de 2008 08:14  

ai ai ai... belo tema, principalmente nessa semana!

afinal, será q nao estamos entrando numa nova espécie??
o homo sapiens sapiens desumanus?
as vezes acho q é pra isso q estamos caminhando...
cada dia mais me impressiona a falta de humanidade das pessoas.

mas o importante eh q elas acabaram aprendendo com o tempo e eu vou estar aqui pra servir de exemplo..assim como vc e um grupo seleto de pessoas...

enfim, brigada a "homenagem". vc entende!rsrs

bju

8 de junho de 2008 17:52  

As pessoas não se respeitam mais, só pensam no próprio bem estar e no que podem fazer pra passar por cima dos outros.

Todos reclamam disso, mas poucos são os que realmente prestam atenção em não cometer os mesmos erros. São muitas vezes atos simples, como um "Bom dia" que fazem falta.

Bom é isso. Bom texto Lu... isso de escrever bem deve ser de família rsrsrs

Beijos da Flora
hahahaha

8 de junho de 2008 20:24  

É... muitas vezes esquecemos [num modo geral] que somos feito da mesma matéria!
Q pedrarias e jóias são apenas adornos sobre nosso corpo,mas não fazem parte de nossa formação...
Que sentimentos ,podem ser lembrados por toda a eternidade, mas que um pedaço retangular de papel, pode não significar nada quando uma atitude não tem preço!
...
Adorei o texto Lu!!! Temos de refletir sempre!
Beijos no coração!

9 de junho de 2008 10:26  

O texto em si já dispensa comentários sem que esses corram o risco de acabarem sendo redundantes.

Uma coisa no entanto merece ser destacada: o que é "ser humano" e o que é "desumano"?

Perdoem-me a visão caótica, mas o ser humano nunca foi "humano", mesmo em detrimento de sua capacidade de raciocínio. A História prova isso.

A Cruzada do Homem na terra foi, desde sempre, composta por eventos de violência e conquista do seu próximo, numa tentativa constante de impor valores próprios a outros povos, outras culturas.

Os poucos seres humanos realmente altruístas foram condenados e mortos exatamente por aqueles aos quais visavam ajudar...

Existe bondade ao ser humano? Óbvio. Mas partindo deste pressuposto devemos abandonar uma visão maniqueísta de que existe os bons e existem os maus. O ser humano irá praticar o bem e o mal, muitas vezes ao mesmo tempo se considerarmos pontos de vista diverso. Para mim isso é "ser Humano".

Por isso é tão importante tentar entender a si mesmo antes de tentar entender os à sua volta. E quando o fizer, o que é realmente difícil, porque nós mesmos nos pregamos peças, certamente terá uma visão libertada de aspectos culturais e teológicos. Saber de si mesmo é o suficiente para que você consiga fazer o "bem" mais constantemente, ser Humano, afinal, como dizem.

É isso aí...

9 de junho de 2008 22:16  

Postar um comentário

<< Home