Psiquê no Divã

domingo, 8 de junho de 2008

Olá, pessoal!

Irei aproveitar este espaço para além de, citar coisas importantes, assuntos para fins de reflexão de discussão, mas também para ser um cantinho do qual irei expor parte de mim, ou seja, meus escritos. Espero que apreciem!

O poema que segue abaixo, posso dizer que foi algo que à primeira vista pode parecer singelo, porém tem um contexto profundo...

Desafio vocês a descobrirem o pôrque! (Risos)...

Modestamente, Luciana Santos!



Cabo Frio, 08 de maio de 2006.

Seus olhos

Olhos negros, meigos... cativantes,
Andavam ansiosos por olhar alguém
Olhares confusos e perdidos
Olhava à todos, mas não via ninguém

Ora estiveram alegres,
Outras porém, melancólicos,
Mesclando seu brilho fosco com intensidade
Na ânsia por desejos, sonhos e liberdade;

Mesmo perdidos, eram belos
Mesmo confusos, eram meigos
Capazes de encantar até quem lhes passava despercebido...
Olhos meigos, belos, encantadores...

Se você sorri, de certo seus olhos riem em dobro,
Nada precisa dizer com tua boca
Teu olhar é capaz de revelar tudo o que alguém precisa saber;
E agora teu olhar não é mais perdido;

No meio de uma multidão
E confusão de sentimentos,
Ele achou o que procurava
E mesmo relutante, fez palpitar seu coração;

Você, de certo não quis acreditar
Parecia que seus meigos olhos lhe pregavam uma peça...
Em meio à palavras gentis e sedutoras,
Você não sabia, mas seus olhos estavam prestes a se apaixonar;

Na verdade, não foram somente teus olhos
Que vieram a se apaixonar...
Os meus também se viram envolvidos,
Envolvidos pela tua doce presença;

E no meio da minha confusão,
Quando menos pude esperar
Meu olhar já buscava o seu,
E buscava além - alcançar seu coração!

Ainda não pude sentir seu brilho de perto,
Ainda não pude admirar sua meiguice,
Mas o pouco que seus olhos já me mostraram,
Foram suficientes pra eu saber que estou amando vc!


By Luciana Santos!


posted by Luciana Santos at 19:08

3 Comments:

Hum que coisa mais fofa, apaixonada rsrs =)

Como eu já te falei... dizem que isso faz bem, deixa a vida mais leve, com mais colorida (nossa minha avó falava isso pra mim) hahaha

Bom acho que é melhor eu não me prolongar muito no assunto... levando eu conta que não vejo muito a paixão na minha vida.

Beijos

8 de junho de 2008 19:45  

Hummmmm...será q temos uma pessoa aqui eternamente apaixonada pela paixão?!

Fica aí o meu recado! ;)

9 de junho de 2008 10:38  

Olhos...tema já já abordado por 12 entre 10 escritores...

Poderia me prolongar em falar dos inúmeros olhos e olhares que já cruzei em minha (não) eterna jornada para tentar entender melhor os seres humanos, mas me privarei de faze-lo.

O que mais me chamou atenção no texto, um bom fruto sem dúvida, foi a forma peculiar como foi escrito.

É muito interessante perceber que na grande maioria das vezes em que um autor põe o próprio sentimento em uma obra, quase sempre ele foge da métrica "clássica".

Percebi como foi escapando da necessidade de impor rimas aos versos a medida que você ia sendo levada por suas próprias palavras, dominada por elas a medida em que imprimiam seus sentimentos.

Exatamente por isso seus sentimentos tornaram-se tão flagrantes durante o texto. Afinal, qual é a métrica do coração?

Fica a pergunta...

9 de junho de 2008 22:02  

Postar um comentário

<< Home