Psiquê no Divã

segunda-feira, 16 de junho de 2008

Artimanhas femininas

Boa tarde, meus caros!


Hoje, gostaria de colocar um tema para discussão. Não adianta dizer apenas reflexão, pois eu sei que muita gente vai se “coçar” na cadeira enquanto lê este post.

Vamos falar sobre as mulheres. Sim, nós mesmas. Acalmem-se amigas... não me equivoquei. Tomei a liberdade de citar algo sobre essa natureza tão intuitiva, misteriosa e paradoxal, por causa de um assunto em mesa de bar noite dessas. Claro que, fatores inerentes ao assunto foram completamente relevantes. Pessoas e seus mais variados tipos de humor, pensamento, atitude e compreensão.

Com o dia-a-dia, aprendemos que algumas atitudes e sentimentos podem ser mascarados. E não há tipo mais bem dotado na arte de “dissimular tendências” ou “simular estado de espírito” do que a mulher. Não adianta sentirem desejo em atirar pedras em mim. Por acaso, estou mentindo?

Sabemos que, desde que o mundo é mundo, as mulheres têm um dom peculiar em estarem atentas a tudo à sua volta. Fomos preparadas para suportarmos a dor das mais diversas formas, através de um dom sublime: o ato de dar a luz, ser mãe. Com nosso instinto materno de proteção, cuidado e adorno, criamos nossos herdeiros para serem humanos dignos. Homens e mulheres de caráter.

Aos poucos, apesar da mulher no passado ter adotado (ou sido submetida à) uma postura submissa por causa de questões sociais e culturais, aprendemos a adquirir o nosso próprio espaço e a não estarmos atrás de um homem bem-sucedido, mas sim, ao lado do mesmo também sendo bem-sucedida.

Dentre todos os atributos, hoje quero citar sobre a evolução do comportamento feminino nas suas relações pessoais e sua postura, pensamentos e atitudes. Acredito que não seria nem um pouco de feminismo dizer o quanto eu admiro as mulheres de um modo geral, por tudo que fomos, somos e ainda seremos e iremos conquistar. Pela sua sagacidade, elegância, postura, pelo seu poder de magnetismo (e nesse aspecto não me refiro apenas à jogos de sedução), pela forma como ela é capaz de ir das lágrimas ao riso contagiante numa fração de segundos, como é capaz de se emocionar. O fato de se exaltar as qualidades, não me faz feminista, me faz ser verdadeira. E o fato de ser verdadeira, me dá respaldo para citar outros aspectos que talvez não sejam tão bem vistos ou quem sabe seja apenas uma simples questão de “ponto de vista”.

Uma visão é indiscutível: como eu comecei a citar nesse texto, a mulher é capaz de simular, de tolerar ou até mesmo de fingir sob determinados aspectos. Um ponto negativo, na minha opinião, é que algumas podem extrapolar neste “dom” e acabar usando táticas que fazem referência a um jogo um tanto quanto fulo e por não dizer falso. Sim, mulheres conseguem ser falsas. Em determinados momentos, ela é capaz de ser tão sociável que pode estar sentada à mesa com uma pessoa que para ela é extremamente desagradável e agir como se fossem “velhas amigas”.

De acordo com algo que eu mesma vivenciei e também observando comportamento de determinados grupos até hoje, eu pude construir esta tese. Mulheres são extremamente diplomáticas, fora alguns perfis temperamentais e extremamente intolerantes. A diplomacia é tão admirável que dificilmente ela irá transparecer um certo desconforto ou asco, porém, para quem sabe ler nas entrelinhas, pequenos sinais como, uma sobrancelha arqueada, um sorriso de canto de boca, o fato da bolsa estar no colo, dentre outros, podem denunciar que tudo o quê está sendo feito ali, não passa de um teatro.
Não estou aqui nem para defender, muito menos condenar. Também no meu papel de mulher, tenho meus momentos de “dissimular” ou “simular” situações, porém, pode-se dizer que meu nível de tolerância não chega aos extremos citados acima.


O que quero com esse texto é acima de tudo trazer uma verdade à tona. Uma verdade que ficara oculta por um bom tempo e que muitas das vezes, agimos de modo tão displicente que nem percebemos que está sendo feito dessa forma.

Para refletir: Não que seja ruim termos um mecanismo de defesa para ocultar nossas reais emoções e desejos, mas devemos evitar perder nossas convicções no meio do caminho!

Fica aí o meu recado!

Espero que tenham apreciado. Até a próxima!
posted by Luciana Santos at 12:02

6 Comments:

DIPLOMACIA!
PALAVRA CHAVE!

huahuahuahuahua

Sim,mulheres são diplomáticas na maioria das vezes. Eu sou diplomática sempre, salvo dias não muito felizes! rs Mas mulheres tem o dom da dissimulação tbm!
Ai...apesar disso tudo ainda nos acho fantásticas! Como controlar certas coisas dentro de nós pra fazermos aquilo que queremos girar conforme nossas vontades?
Teatro!
Quem realmente nos conhece verá que estamos forçando um pouquinho. Mas o mundo é assim, baby!

Ai Lu, ameeeeeeei o texto!
Vc tbm é fantástica!!!!!!!!!

Beijos no coração!!!

16 de junho de 2008 12:42  

As Mulheres são poderosas, com pequenos atos podemos conseguir tudo.

Podemos estar num tubilhão de emoções por dentro, mas por fora demostramos equilíbrio e simpatia, quando queremos.

Basta saber até que ponto é saudável utilizar a arte de dissimular para atingirmos nossos objetivos.

Beijos Lindona

16 de junho de 2008 17:48  

Estou com os Dois comentários.

As mulheres são indiscutivelmente mais diplomáticas que nós, homens. E tal diplomacia pode facilmente converter-se em dissimulação em vários momentos.
Entender esta verdade e admití-la é um passo importante para perceberem que os homens não as entendem e nem tem a obrigação de entendê-las se não há a colaboração devida para isso ao tempo, claro, que os mesmo deveriam se tornar mais sensíveis ao sinal feminino. É isso que eu chamei de "Equilíbrio na Balança".

Um outro ponto que se deve destacar a ponto de fazer um post só pra ele foi o mencionado pela Tati: "té que ponto é saudável utilizar a arte de dissimular para atingirmos nossos objetivos."

Este é uma pergunta de veras pertinente. Alguem se habilita? ;)

See You

17 de junho de 2008 10:15  

Com o passar dos anos a mulher teve que aprender a se defender, por sermos supostamente mais "frágeis" encontramos diversas formas de driblar barreiras impostas a nós, acho que em alguns aspectos perdemos nosso charme, e alguns atributos tão marcantes, que nos diferenciam tanto so homem, mas penso que tenha sido necessário pra mostrar-mos nossa verdadeira força.

Volto mais vezes pra comentar nos outros posts.

um super beijo!

20 de junho de 2008 10:58  

Comentando o post:

É comprovado cientificamente que as mulheres usam cerca de 11 a 16 áreas do cérebro voltadas para as espressões comportamentais, enquanto os homens usam de 3 a 5(se não me engano). Logo: elas sabem se comportar como se estivessem falando a verdade mesmo que isso não seja um fato, e também sabem identificar uma mentira, pois reconhecem instintivamente as expressões corporais de um mentiroso.

Agora, imagine a situação... Uma mulher que chega em casa e mente para seu marido...
É até mesmo desleal pois a mulher e biologicamente melhor preparada para isso, o marido dela nem mesmo desconfiaria ( salvo exceções )que sua mulher esta lhe passando a perna..rsrs....

adorei o post bjossssss

f
u
i
.
.
.

27 de junho de 2008 16:23  

realmente concordo em genero numero e grau mulheres são realmente diplomaticas e podemos dizer bem falsas
rs
por isso os homens tem tanta dificuldade de nos entender pelo menos grande maioria deles reclamão disso rs
porém ao mesmo tempo q uma mulher qr esconder o q sente e o q acha ela tbm sabe demonstrar mto bem se quiser q os outros notem... ai sai debaixo rs
lu amei o post
bjymz pra todos

10 de agosto de 2008 15:01  

Postar um comentário

<< Home